Mais com menos
Bot com IA aumenta produtividade no atendimento da Leroy Merlin, que aposta em evolução da tecnologia 07/05/2019 01:25
» Charles Henrique Schweitzer
Há dois anos, a Leroy se viu diante de um grande problema. O espaço físico dedicado ao CALM, Central de Atendimento Leroy Merlin, estava ficando pequeno e a demanda de chamadas aumentando. Avaliando as possibilidades, a empresa entendeu que ou partia para uma solução que daria maior produtividade, ou teria que ampliar o espaço, mudar de endereço, etc. Diante disso, a opção escolhida foi investir em inovação com a implementação da a assistente virtual LIA (sigla para Leroy Merlin Inteligência Artificial), no final de 2017. "Com a adoção da tecnologia, conseguimos aumentar a nossa produtividade em uma série de canais de atendimento", destaca Charles Henrique Schweitzer, head de inovação da Leroy Merlin Brasil.

O executivo comenta que a LIA é o que existe hoje de mais avançado do ponto de vista de IA. Funcionando 24x7, a assistente virtual utilizando a tecnologia IBM Watson por trás, atendendo as solicitações dos clientes no CALM e agora, também os chamados de TI no service desk, internamente. "Estamos muito felizes de contar com ela e, esperando poder cada vez mais integrá-la aos nossos sistemas para que ela possa executar atividades pelos nossos clientes e usuários", comemora. Tanto que já há a ideia de para integrar a LIA ao RH e também ao tema de Compliance.

Essa evolução é algo visível. O uso da tecnologia começou por um assunto simples, mas com alta demanda: horários e localização de lojas. Porém, hoje, atende outras questões. De acordo com Schweitzer, o bot com IA gera um log de todas as conversas feitas com os clientes. Com essas informações em mãos, a empresa faz uma curadoria constante das respostas do robô. "A cada semana olhamos para o relatório e aumentamos a sua inteligência, por consequência, aumentamos a produtividade", pontua. Além disso, há um trabalho pensando na integração com os sistemas para que o bot deixe de apenas ser um robô de perguntas e respostas, e, sim, possa ser um robô que execute determinadas ações. A Leroy Merlin também já pensa em levar a LIA para conversas de voz. "As APIs de conversão de texto em voz e voz em texto melhoraram muito nos últimos meses."

AMEAÇA DO BOT?
Um dos desafios da empresa na adoção da tecnologia, segundo o head de inovação, foi o receio das pessoas, que ainda acham que o bot vai "acabar" com os empregos, "o que não é o caso". "O bot é um enorme aliado dos operadores que podem se dedicar a chamados mais complexos e que necessitam das habilidades humanas", explica o executivo, acrescentando que o atendimento humano está integrado ao robotizado. "Basta o cliente chamar! A conversa continua." Para Schweitzer, o atendimento humano é insubstituível do ponto de vista de empatia. "O atendimento robotizado, no entanto, é o mais eficiente e rápido do ponto de vista de atividades simples e de fácil treinamento", completa.

Compartilhe

Twitter Facebook Linkedin

Palavras mais procuradas

ATENTO  SITEL  VIDAX  URANET  CSU  RANKING  PROVIDER  NICE  CALLINK  TIVIT  TELLUS  ALMAVIVA  CONTAX  CALL CENTER  AVAYA  AEC  VAGAS  VIKSTAR  TELEPERFORMANCE  TMKT 
 
https://www.callcenter.inf.br/