Chatbot da Citroën realiza venda de carro
Assistente virtual foi o responsável por iniciar o processo no Facebook Messenger 07/12/2018 02:15
A Citroën confirmou sua primeira comercialização de um automóvel intermediada por meio de um chatbot no mundo. O robô, chamado Jean, foi a responsável por levar um cliente brasileiro ao site de pré-reserva do Novo SUV C4 Cactus. O processo começou com o auxílio do bot no Facebook Messenger, que conduziu o cliente até o site de pré-reserva da Citroën, onde a transação foi concluída após o pagamento de um sinal.

O dispositivo foi desenvolvido pela Citroën do Brasil em parceria com empresa de tecnologia Smarters e a BETC/Havas, especificamente para o lançamento do Novo modelo no País, com o objetivo de possibilitar o atendimento contínuo dos consumidores em qualquer horário ou dia, além de apresentar os principais atributos do veículo e conduzir o cliente ao portal da Marca. Como uma espécie de consultor de vendas, a ferramenta se baseia no uso da inteligência artificial para responder de forma assertiva questões relacionadas ao design, tecnologia, conforto, segurança, localização de concessionárias, test-drive e demais assuntos atrelados a compra do C4 Cactus.

O chatbot ainda permite usar o Messenger para enviar respostas customizadas para cada perfil de usuário e estabelecer conversas em linguagem natural, por meio do uso de uma tecnologia de compreensão de textos  conhecida como NLP - Natural Language Processing.  "Assim como o Cactus é inspirado pela vida e atitude das pessoas, desenvolvemos uma ferramenta para tratar cada cliente como único, ao mesmo tempo em que ela auxilia o consumidor a fazer a compra de qualquer local, dia ou horário, mesmo em uma grande escala de demanda", explica Alessandra Souza, diretora de desenvolvimento do negócio Peugeot/Citroën.

Ela lembra que o bot, a cada interação, amplia o seu repertório e apreende diferenças e sutilezas da comunicação humana, incluindo emojis, expressões, tons, emoções, regionalismos, abreviações, coloquialismos e até erros de escrita. "A ideia deste processo é deixar o atendimento cada vez mais personalizado, motivado pelo o que o cliente precisa e quer saber", revela Alessandra.

Compartilhe

Twitter Facebook Linkedin
 
https://www.callcenter.inf.br/