Toda a empresa em torno da LGPD
Do TI ao jurídico, todas as áreas das organizações devem ficar atentas ao uso de dados dos clientes 16/10/2018 12:51
» Silvio Passos
A internet e a tecnologia facilitaram o relacionamento das empresas com os clientes, os aproximando e fazendo com que as demandas de ambos fossem solucionadas em curto espaço de tempo. A novidade, no entanto, também trouxe consigo algumas novas questões a serem debatidas, analisadas e, se necessário, regulamentadas. É o caso do uso de dados pessoais dos clientes, que por mais facilitador que seja para que as companhias possam alcançar seu público e até prever possíveis necessidades que venham a ter, também entra no campo da privacidade e segurança digital para tais cidadãos. Tendo em vista tais complexidades, foi sancionada, em setembro, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que prevê a necessidade de transparência das empresas com os dados dos consumidores e também o controle destes com suas próprias informações. A legislação aproxima-se da Lei GDPR (General Data Protection Regulation) da União Europeia e insere o Brasil na necessidade de absorção das novas práticas do mercado. A regularização impacta diretamente as companhias, tanto as que vendiam esses dados, tanto as que se utilizam deles para fortalecer e aprimorar a relação com seus clientes. 

O setor de contact centers se vê no meio desse turbilhão, precisando, desta maneira, adequar-se à nova regra e, ainda assim, manter suas atividades estratégicas e operacionais em constante desenvolvimento. Para tal adequação será necessária a contração de pessoas para que monitorem o uso dos dados e que respondam de acordo com a lei sobre as atividades relacionadas da empresa. Além disso, será necessário não só fortalecimento do setor jurídico e de tecnologia, mas de todas as áreas das companhias, garantindo, assim, que estejam atuando de acordo com a nova legislação. A preocupação de Silvio Passos, vice-presidente de Operações e Transformação Digital da Algar Tech, em relação à novidade é o tempo de 18 meses que as empresas têm de adaptação, por isso ele enfatiza a necessidade de todos os setores estarem alinhados com a nova prática: "Criamos um comitê interno com a participação de diferentes áreas para analisar a nova Lei e entender os impactos e necessidades de adequação".  

A regulamentação deverá proteger os indivíduos e ajudará a criar uma relação de maior transparência com as empresas, fazendo com que suas atividades sejam realizadas de maneira mais segura. Apesar das dificuldades iniciais, a legislação deve trazer vantagens também para as empresas, como finaliza Passos, "Com a nova lei, teremos uma clareza jurídica na coleta, uso, processamento e no armazenamento de dados dos clientes garantindo governança em todas as fases do ciclo de vida.".

Compartilhe

Twitter Facebook Linkedin

Palavras mais procuradas

VAGAS  VIKSTAR  NICE  AEC  CONTAX  TELLUS  SITEL  ALMAVIVA  CALLINK  PROVIDER  ATENTO  TIVIT  CSU  RANKING  AVAYA  URANET  TMKT  TELEPERFORMANCE  CALL CENTER  VIDAX 
 
https://www.callcenter.inf.br/