Relacionamento: 6 erros mais comuns
Comportamentos que demonstram desrespeito são graves e ferem imagem da empresa 31/07/2019 10:35
» Cassiano Maschio
Autor: Cassiano Maschio

A relação entre empresas e consumidores mudou muito nos últimos anos, em especial após a popularização das redes sociais. As corporações estão hoje mais expostas e podem ter prejuízos financeiros e de imagem ao cometerem deslizes graves sem corrigi-los satisfatoriamente.

Mesmo assim, há empresas que ainda sofrem para se adaptar aos novos tempos, deixando a desejar em relação à transparência e atenção ao cliente.

Veja abaixo alguns dos piores erros de relacionamento:

Falar mais que ouvir
Imagine que você está no trabalho e recebe uma ligação de um corretor de imóveis. Você diz que não pode falar, ou que não tem interesse, ou as duas coisas, mas a pessoa parece não ouvir e continua a explicar como o lançamento é bem localizado e que é uma oportunidade maravilhosa. Péssimo, não é?

Este tipo de tática, em que o vendedor fala sozinho sem se importar se o consumidor tem o mínimo interesse no produto ou serviço é ineficaz, e ainda pode gerar antipatia pela empresa.

Antes de oferecer qualquer coisa, é preciso ouvir o cliente e entender qual a necessidade dele. Esta prática é mais comum no momento da venda, porém, a dica de ouvir o cliente vale para todas as etapas do relacionamento.

Falta de empatia
Falar mais que ouvir é um exemplo de ausência de empatia, mas há outros: continuar conversando com um colega enquanto um cliente aguarda atendimento, dar uma resposta padrão no SAC quando a demanda requer uma análise personalizada, ou ignorar uma reclamação.

Uma empresa que despreza o valor da empatia tem uma péssima estratégia de relacionamento com o cliente.

Dar informações erradas ou vagas
Em equipes mal preparadas e pouco supervisionadas há sempre aquele colaborador com dificuldade de assumir que desconhece a resposta para uma pergunta, ou pior: acha que sabe e dá uma informação errada para o cliente. Quem nunca ligou para um SAC e recebeu determinada orientação, ligou novamente e ouviu uma resposta diferente de outra pessoa?

Este problema é mais comum em call centers terceirizados, mas pode acontecer "dentro de casa" se a empresa não se preocupar com o treinamento e com o acompanhamento do trabalho da equipe.

Não cumprir compromissos
Tanto a equipe de vendas quanto de pós-venda devem estar orientadas a assumir somente os compromissos que podem ser cumpridos. Se o cliente quer a entrega em dois dias, mas as chances de atendê-lo neste prazo são mínimas, o colaborador deve ser transparente, explicando as questões de logística. Justificativas atenciosas têm muito mais chances de funcionar do que falsas promessas.

Abandonar o cliente no pós-venda
A maioria das empresas, infelizmente, ainda dedica pouca atenção ao pós-venda. Esta é uma tática pouco inteligente, uma vez que é mais barato manter um cliente do que atrair um novo.

Se a pessoa procura a empresa, é preciso atendê-la rapidamente e da melhor forma possível. É importante também desenvolver ações proativas para manter o relacionamento, como pesquisas de satisfação e envio de newsletter (desde que o cliente dê o seu consentimento).

Não aprender com os erros
Erros são sempre oportunidades de fazer melhor. Ao monitorar os processos e acompanhar o desempenho dos diversos setores, a corporação tem condições de perceber onde está errando, e aprender com isso.

Cassiano Maschio é diretor comercial da Inbenta no Brasil

Compartilhe

Twitter Facebook Linkedin

Palavras mais procuradas

CONTAX  URANET  TELEPERFORMANCE  ATENTO  TIVIT  TELLUS  VAGAS  VIKSTAR  FLEX  ALMAVIVA  VIDAX  CSU  CALL CENTER  NICE  AEC  CALLINK  TMKT  RANKING  AVAYA  SITEL 
 
https://www.callcenter.inf.br/