Quando o problema é você
Uma boa liderança vai muito além de conhecimento e experiência 25/07/2019 10:09
» Eliana Dutra
Autora: Eliana Dutra

Que ser líder é uma posição desafiadora e solitária, isso ninguém tem dúvida. Agora some a isso a pressão do Conselho e acionistas por mais lucro, cumprimento de metas, gerenciamento de equipe e soluções rápidas e assertivas num espaço de tempo cada vez mais curto e imediato, já que a própria tecnologia exige isso dia após dia. O resultado é fatal, ou seja, um chefe extremamente sobrecarregado e cobrado. Assim, outro fator se apresenta como um agravante: o estresse gerado por este cenário, fazendo com que alguns utilizem isso como desculpa para um comportamento grosseiro com os seus pares e colaboradores.

Há ainda aqueles que acreditam que tratar mal as pessoas é a melhor alternativa para o sucesso pessoal, pois deixará claro quem está no controle e tornará a equipe mais forte quando uma crise surgir. Ledo engano! O que muitos líderes não se dão conta é que esse tipo de atitude prejudica a produtividade, já que importa custos para as pessoas e para a própria organização.

Esse tratamento grosseiro prejudica o desempenho de todos, incluindo habilidades de tomada de decisão, criatividade e vontade de "vestir a camisa" da empresa, além do sentimento de trabalhar em equipe. Enfim, vira um verdadeiro poço sem fundo, um efeito cascata que atinge a todos os níveis da companhia de forma verticalizada.

Trata-se de uma situação real e que acontece corriqueiramente, muito mais vezes do que imaginamos ou gostaríamos. Em muitas ocasiões, o líder nem ao menos percebe quando é rude, outras sabe que está sendo grosseiro e o o faz como uma estratégia de poder. Simplesmente acha que é uma pressão "normal" que faz parte da sua posição. Um comportamento natural do ser humano de se iludir e considerar que o problema é sempre externo, ou seja, do outro, mas nunca uma falha própria. Contudo, isso não pode ser desculpa, de forma alguma, para o tratamento que é assédio.

Para virar esse jogo é preciso que o CEO esteja aberto ao feedback e a uma reflexão constante do seu comportamento, já que uma boa liderança vai muito além de conhecimento e experiência. Entretanto, ele não conseguirá fazer isso sozinho. É preciso contar com uma rede de apoio composta de pessoas de confiança que possam lhe mostrar ou avisá-lo quando ele exagerar na dose. Mas, para que isso dê certo é preciso receber o feedback de bom grado e refletir sobre o que foi dito.

Muitos líderes consideram essa iniciativa complicada, já que temem a exposição. Nesse caso, então, ele pode contar com o auxílio de um Coach que será uma pessoa imparcial para escutar seus questionamentos e o ajudará a refletir sobre o tipo de pessoa que ele quer ser, os efeitos que causa nos outros e a encontrar soluções para a mudança de comportamento.

Enfim, é preciso praticar a humildade, se posicionar como um verdadeiro Gestor Coach, ouvindo contextualmente os colaboradores e dar-lhes crédito quando esses o merecer. Dessa forma, haverá mais sinergia entre ele e a equipe e, consequentemente aumento na produtividade. Adotar a postura de um líder civilizado como uma filosofia pessoal fará com que ele tome decisões melhores e lidere de forma mais estruturada e engajada. O principal objetivo e o mais inteligente é deixar de ser o foco do problema e ser a solução!

Eliana Dutra é CEO da ProFitCoach, Master CoachCertified pela ICF e coordenadora do Grupo Nikaia.

Compartilhe

Twitter Facebook Linkedin

Palavras mais procuradas

TIVIT  ALMAVIVA  TELEPERFORMANCE  ATENTO  AEC  FLEX  URANET  TMKT  VIDAX  SITEL  AVAYA  VAGAS  RANKING  CONTAX  VIKSTAR  CALL CENTER  TELLUS  CSU  CALLINK  NICE 
 
https://www.callcenter.inf.br/