Como atender a urgência dos clientes?
Hoje, é preciso resolver as necessidades na hora, caso contrário, haverá frustração e incômodo 05/04/2017 07:21
» Bruno Dalla Fina
Autor: Bruno Dalla Fina

A inovação tecnológica está transformando radicalmente o ritmo de vida dos consumidores. Em média, passamos de 8 a 14 horas diárias em frente a uma tela. Isso quer dizer que grande parte das coisas que são feitas durante o dia ocorrem por meio de um aparelho, principalmente um dispositivo móvel.

Esses novos hábitos têm provocado uma necessidade de urgência nunca vista antes. Ou seja, é preciso resolver necessidades ou anseios na hora. Caso contrário, o resultado é frustração e incômodo.

As empresas vêm se adaptando aos poucos a essas mudanças, usando como principal estratégia a passagem de boa parte de sua oferta de atendimento ao cliente para os canais digitais, mas muitas vezes isso não é o bastante e os clientes se sentem no meio do caminho.

Os consumidores esperam que suas necessidades sejam atendidas em tempo real. Se a empresa escolhida não oferece respostas imediatas para suas perguntas nos canais digitais utilizados, esses consumidores acabam abandonando a transação e, consequentemente, buscam outra alternativa que se adapte melhor a essa intensa necessidade de urgência.

O desafio das empresas atuais é saber como resolver essa necessidade, principalmente quando se presta serviço a uma grande quantidade de clientes.

Desde que os principais veículos de comunicação começaram a falar em assistentes virtuais com inteligência artificial, essas soluções inovadoras têm conquistado um espaço cada vez maior em todas as empresas, seja para oferecer suporte a todos os usuários, fazer propaganda, vender, ajudar em transações, ou simplesmente manter uma conversa coloquial.

Os assistentes virtuais usam inteligência artificial, machine learning e a técnica de aprendizagem supervisionada para poder manter um diálogo natural que permite evoluir ao longo do tempo, graças ao seu uso constante.

A Gartner Research, empresa de consultoria e de investigação de tecnologias, já havia previsto que, em 2015, 50% das atividades de busca dos usuários nos canais digitais seriam conduzidas por agentes virtuais e que em 2020 esse percentual subirá 85%.

As empresas já identificaram essa necessidade de seus clientes e devem se adaptar para responderem a esta urgência esperada.

Bruno Dalla Fina é courtry manager da Aivo.

Compartilhe

Twitter Facebook Linkedin

Palavras mais procuradas

CONTAX  VIDAX  FLEX  SITEL  RANKING  AVAYA  ALMAVIVA  URANET  TMKT  AEC  CSU  CALL CENTER  TELLUS  VIKSTAR  VAGAS  NICE  TIVIT  ATENTO  TELEPERFORMANCE  CALLINK 
 
https://www.callcenter.inf.br/